Notícias!!

terça-feira, novembro 06, 2007

FISIOTERAPIA QUIROPRÁXICA


Este texto abaixo foi veiculado pelo O DIA ON LINE, pelo terra que fala sobre a quiropraxia no Brasil, estou reproduzindo na integra, porém os leitores poderão também visualizar este artigo no proprio link O DIA ON LINE.


Quiropraxia: Técnica manual alivia as dores de coluna


Especialidade se propõe a tratar problemas articulares, como bursite e torcicolo, sem medicamentos ou cirurgias

André Bernardo


Rio - Um certo mal-estar no peito, uma queimação no estômago ou uma dor de ouvido. Estes e outros sintomas podem ser provocados, acredite, por disfunções em uma das 33 vértebras que compõem a coluna. É o que garante a quiropraxia, técnica fisioterápica que se propõe a diagnosticar, tratar e prevenir desvios da coluna, através da manipulação e do alinhamento das articulações, sem prescrição de remédios ou intervenções cirúrgicas.

“A quiropraxia se concentra na relação entre coluna vertebral e sistema nervoso central. Qualquer alteração nas articulações, por menor que seja, já interfere no bom funcionamento de músculos, nervos e tendões. Assim, a simples manipulação de uma vértebra já é suficiente para restabelecer a harmonia corporal”, explica Ines Nakashima, presidente da Associação Brasileira de Fisioterapeutas Quiropraxistas (ABRAFIQ).

Reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a quiropraxia é regulamentada em mais de 70 países, como EUA, Inglaterra e Austrália. No Brasil, já está incluída no Código Brasileiro de Ocupações (CBO), do Ministério do Trabalho. Até o momento, apenas profissionais formados em Fisioterapia estão aptos a exercer a técnica, cujo nome deriva do grego: quiro significa ‘mão’ e praxis, ‘praticar’.

RÁPIDA RECUPERAÇÃO

“A exemplo de outras técnicas, como RPG e acupuntura, a quiropraxia é mais uma ferramenta à disposição do fisioterapeuta. A diferença é que a recuperação é mais rápida e eficaz. No tratamento convencional, um paciente só nota melhora após 20 sessões de duas horas. Na quiropraxia, essa recuperação já começa após 8 sessões”, compara Marcos Barros, fisioterapeuta com especialização em quiropraxia.

Pelo consultório de Marcos, em Ipanema, já passaram os mais diferentes casos: de hérnia de disco a bursite, de torcicolo a dor ciática. A engenheira Sônia Duran, 55, procurou a quiropraxia há quase dois anos, em uma de suas crises de hérnia. Na ocasião, ela já havia tentado de tudo — RPG e acupuntura inclusive. Sônia gostou tanto da quiropraxia que virou cliente. Ela, a mãe e a filha, que sofrem de tendinite e escoliose. “Quando você esquece que está doendo é porque já melhorou bastante”, brinca.

Mas, afinal, o que causa as tais disfunções articulares na coluna vertebral? Segundo Felipe Blumenberg, fisioterapeuta há cinco anos e quiropraxista há quatro, uma extensa lista que inclui estresse, insônia, sedentarismo, má postura, alimentação inadequada etc. “O principal objetivo da quiropraxia não é apenas tirar a dor o mais depressa possível. É também adotar novos hábitos de vida. Se você não souber o que causou aquela dor, fatalmente ela voltará amanhã ou depois", alerta.

Tratamento exige cautela e precisão

Um recente estudo publicado pela revista ‘Journal of the Royal Society of Medicine’ revelou que a prática incorreta da quiropraxia pode causar sérios danos ao paciente, como fraturas ósseas e lesões nervosas. Segundo o autor do estudo, Edzard Ernst, a manipulação da espinha dorsal deveria ser controlada mais rigorosamente.

“Qualquer prática na área da Saúde pode gerar danos se for mal aplicada. No caso da quiropraxia, se o profissional não fizer a avaliação adequada ou se usar de muita força, pode provocar uma lesão. Os riscos existem, mas os casos graves não passam de um em 100 milhões”, estima Ines Nakashima.

A consulta quiroprática consiste numa espécie de ‘investigação’. Muitas vezes, a origem de determinada lesão só é identificada na terceira ou quarta sessão. Para tanto, os fisioterapeutas quiropraxistas se utilizam de muita conversa — para levantar o histórico do paciente — e, principalmente, ‘apalpação’. “É impressionante como tudo está relacionado à coluna vertebral. Até mesmo o que a gente pensa que não está”, brinca Felipe.

BRASIL JÁ CONTABILIZA 1.600 QUIROPRAXISTAS

O fundador da quiropraxia é o canadense Daniel David Palmer. Autodidata, promoveu a primeira ‘manipulação quiroprática’ em 1895, quando corrigiu a deficiência auditiva de um paciente, Harvey Lillard, com o simples alinhamento de uma vértebra da coluna.

“As indicações da quiropraxia são infinitas. Pessoalmente, só não recomendo a técnica a pacientes em avançado estado de artrose, artrite reumática e osteoporose”, diz Ines.

Hoje, a ABRAFIQ conta com 1.600 associados. Além dos quatro anos de formação universitária, o fisioterapeuta precisa se submeter a mais dois de especialização em quiropraxia. As sessões, porém, não terminam com a aparente resolução do problema. Não são raras as vezes em que os fisioterapeutas complementam o tratamento com exercícios físicos e reeducação postural.

Um comentário:

lexreis@gmail.com disse...

Sou fisioterapeuta, moro no RIo e queria saber aonde tem curso de Quiropraxia.
Obrigado, ALexandre Reis.